sexta-feira, 5 de abril de 2013

Curvar-se para olhar para dentro


"Maria, porém, ficou à entrada do sepulcro, chorando. Enquanto chorava, curvou-se para olhar dentro do sepulcro" (João 20:11 NVI)

Recentemente estava lendo sobre a ressurreição de Jesus no livro de João. O texto relata  que era cedo ainda quando Maria Madalena foi levar especiarias para colocar no corpo de Jesus. Ao chegar lá, enfrenta um grande problema: A pedra que fechava o túmulo havia sido removida. O que será que aconteceu? Onde botaram o corpo do meu mestre? Vendo o túmulo aberto, ela sai correndo para avisar aos discípulos. Posso imaginar a adrenalina, a ansiedade, o coração na boca que a levou a sair correndo.

Ao dar a notícia para Pedro e João, eles também saíram correndo para ver se de fato isso era verdade. Apenas quando chegaram ao local e viram com os próprio olhos o túmulo vazio, então creram.

Quando esses discípulos saem correndo em direção ao sepulcro, Maria Madalena, volta com eles e eu imagino que correndo também. Chegando lá, os discípulos constatam que de fato o túmulo estava vazio. O que fizeram? Voltaram.Já tinham a informação que precisavam.  Deixaram Maria sozinha. Ela fica chorando. Imagine o coração, a dor, tentando entender o que aconteceu. Será que roubaram o corpo? Mudaram ele de lugar e quem saberia dizer onde o puseram?

Ali sozinha, com o coração quebrantado, ela se curva pra olhar pra dentro do sepulcro e ao se curvar, vê dois anjos. Perguntam a ela o motivo do choro e ela diz. Nesse meio tempo, Jesus aparece em cena. Chega por detrás dela. Ela pensa ser o jardineiro. Jesus também faz a pergunta: "porque você esta chorando?" Ela só queria saber onde estava o corpo. Tão ansiosa estava que não percebeu que esse homem com cara de jardineiro, era o próprio Jesus.

Suas emoções não a ajudaram a reconhecer a Jesus. Ele tinha um jeito especial, um tom diferente  quando dizia o seu nome. Ele a chamou- Maria!  Apenas nesse momento, ao ouvir a sua voz, com aquele tom especial, ela diz: - Raboni! que quer dizer Mestre.

Esse texto me fez pensar um pouco sobre a maneira como enfrentamos os problemas da vida. Pedro e João, discípulos de Jesus, homens que andavam com Ele, enfrentavam o mesmo problema da Maria. Ao tomar conhecimento do ocorrido, foram correndo para o sepulcro para saber se de fato era o que aquela mulher estava relatando. Ao constatarem que era fato, que o corpo não estava ali, simplesmente voltaram com essa informação e pronto.

Maria Madalena ao se deparar com o problema, até correu pra dizer aos outros o que aconteceu, mas depois ela volta para o seu "problema" e mesmo chorando, entra em contato com a sua dor, fica ali parada como que analisando tudo, como que se perguntando, o que vamos fazer.

Algumas ações de Maria: Ela chorou, curvou-se e olhou para dentro. Acho que é ai onde perco muitas oportunidades de receber revelações de Deus. Eu não quero parar e olhar o problema de frente. Eu até tomo conhecimento do problema, mas num olhar meio que rápido, correndo, não me detenho. Os discípulos até que se curvaram, e entraram dentro do sepulcro, mas rápido, não se detiveram para analisar, porque parece que isso causa ainda mais sofrimento. melhor não ver muito de perto, porque olhar muito de perto, parece que causa mais dor.

No momento em que eu paro de correr, mesmo com o coração quebrado mas me permito olhar para dentro, como Maria o fez, e dou o tempo suficiente para isso, eu permito que Deus venha com sua luz, como vieram os anjos e o próprio Cristo apareceu. A Bíblia relata que depois que ela se curvou e olhou para dentro, ela pode finalmente ver a Jesus.

A primeira aparição de Jesus, depois da ressurreição, foi a uma mulher e não a seus discípulos. Uma mulher que se permitiu não fugir do problema, não dormiu pra esquecer mas estava ali, curvada pela dor, mas ela pode ver o Senhor.

O texto termina dizendo que depois que Jesus se apresenta a Maria, ela volta para os discípulos mas agora pra dizer, não onde estava o corpo de Jesus, mas para dizer, "eu vi o Senhor! Ele está vivo!  Esse texto me dá uma dica de que se quero ver Jesus nas dinâmicas dos meus problemas, a via é essa: mesmo chorando, curvar-me e olhar para dentro! Quando o fizer, que Ele tenha misericórdia e permita-me vê-lo no meio dos problemas.