terça-feira, 5 de julho de 2011

Usando as Competencias Administrativas no Reino de Deus

Recentemente fui muito edificada ao estudar o capítulo 6 do lívro de Atos. Segundo o relato de Lucas, estava crescendo o número de discipulos, mas eles estavam enfrentando alguns problemas internos: as viuvas não estavam sendo assistidas e os apóstolos deixando de pregar a palavra para realizar esse trabalho.

Em função disso, surge a possibilidade de designar pessoas específicas, com competencias "administrativas", de serviço, para realização desse trabalho. Dai vem a idéia de diaconia. Duas coisas chamam minha atenção nesse texto:


  1. Antes das competencias de serviço, administrativas, gerenciais etc.... os apóstolos priorizaram as qualidades espirituais e de caráter dessas pessoas. Não basta ser um bom administrador, diacono, é preciso ser cheio do Espírito, ter boa reputação, ser sábio, ter fé. As qualidadades do coração precedem as qualidades das maõs, do fazer. Ao traçar o perfil do missionário de "suporte", o coração vem antes das mãos.

  2. Após terem sido eleitos, esses homens foram designados para o serviço e a igreja os apresentou ao Senhor, orando sobre eles com imposição de mãos. De modo geral, fazemos distinção entre aquele que prega a palavra e aquele que serve a partir dos "bastidores", A igreja em Atos, impôs sobre as mãos sobre esses homens e considerou o trabalho deles tão importante quanto os "pregadores". Se há um cerimonial quando a igreja separa um vocacionado para o ministério, então esses homens que servirão a Deus de tempo integral para esse serviço, deve passar pelo mesmo "cerimonial".

No primeiro verso do capítulo em questão, a biblia relata que crescia o número de discipulos, a igreja estava em crescimento e no verso 7 diz que a igreja multiplicava muito o número de discipulos. A que deve essa diferença entre crescimento e muito crescimento? a eleição de pessoas que serviam por trás dos bastidores.

Dessa forma, eu oro para que Deus levante homens e mulheres, com competencias nas áreas de informática, tecnologia, administração, captação de recursos, enfim, pessoas com habilidades que queiram servir a Deus a partir dessas competencias, entendendo que esse trabalho a Deus, seguramente gera maior capacidade às equipes de pregação da palavra para que venham dar mais frutos ainda.