sexta-feira, 21 de setembro de 2007

21 DIAS DE ORAÇÃO E JEJUM

Estamos vivendo um momento muito decisivo como cidadãos, como cristãos, como pessoa. Dentro da Cruzada Estudantil, onde faço parte como missionária, decidimos entrar num período de oração e jejum para pedir a ajuda de Deus. Acredito que todos nós ansiamos por mudanças. Que mude o nosso ministério, que mude a forma como nossos líderes conduzem as coisas, que mude o governo, que mude..... que mude.... mudanças enfim!

A questão é que normalmente, ao detectarmos os pontos que segundo a nossa percepção deveriam mudar, de modo geral, não perguntamos o que EU POSSO FAZER PARA MUDAR?.
Geralmente, o que vem à mente é o que eu espero que mudem. Lendo Jeremias 17:5-10, ele está fazendo uma comparação do homem que confia em Deus e do homem que confia em sí mesmo ou em outro homem.

O texto afirma que a pessoa que confia em si mesmo ou em outros, será como um arbusto plantado no deserto, sozinho e que não perceberá quando lhe vier o bem. Interessante que é exatamente assim que eu percebo as pessoas que ficam sentadas esperando como expectadores que as coisas mudem. O mais intrigante é que as coisas até mudam, mas elas não têm a percepção da mudanca, continuam com o discurso repetitivo, esperando que algo novo aconteça.

Em contrapartida, o homem que confia em Deus será como uma árvore, que tem raizes num ribeiro, não teme quando vem o calor, porque suas folhas sempre estão verdes. Há muitas coisas que eu vejo aqui, mas especialmente a questão de não temer o calor. Estamos no meio de fogo cruzado. Estamos como disse o Apóstolo Pedro, sendo provados como por um fogo, mas essa pessoa que confia em Deus não teme isso, porque ela tem raiz. Não vai perder a estrutura, não vai morrer facilmente.

Pensando nisso, eu decido confiar em Deus. Eu sei e oro para que Ele mude as coisas dentro de mim e a partir de mim. Quero ser uma árvore sadia, que dá frutos, que produz sombra. Não quero ser como um arbustro, sem raizes e que vive solitário no deserto. Na verdade, estou cansada de dizer e ouvir dizer que as coisas precisam mudar. É verdade, urge mudanças, mas o que vamos fazer? Ficar sentados esperando que alguma coisa mude, ou vamos mudar a partir de nós. Se esse país precisa de mudanças, de gente mais honesta, de missionários mais ousados, de gente de oração, que crê no poder de Deus, então eu quero que comece a partir de mim.

Que nestes dias de oração e jejum, Deus nos dê a graça de ter um coração que confia nEle, que dependa dEle, que permita que Ele mude as coisas à partir de nós. Afinal de contas, esse coração é enganoso, corrupto e doente. Ele precisa mais de Deus!