terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O MUNDO PERDEU UM GRANDE HOMEM

No sabado, dia 13 de dezembro, meu pai, ARTHUR JOSÉ DE OLIVEIRA, deixou esse mundo para ir morar na casa eterna que Seu pai preparou antes do início dos séculos. Meu pai foi estar com o Senhor!

Ele serviu a Cristo por mais de 40 anos e pelo menos 20 anos no ministério de tempo integral como evangelista, pastor, construtor. Ele era membro da Igreja Assembléia de Deus. Como homem evangelista trabalhou duro nas periferias, expondo as pessoas ao Evangelho de Jesus. Na maior favela de São Paulo, construiu a templo da igreja. Era assim o seu trabalho. Evangelizava e quando crescia o número dos fiéis, lutava para construir um lugar para se reunirem. Fez isso na favela da Ricardo Jafet e nos últimos dez anos, numa igrejinha na Vila Moraes. Deixou muitos filhos na fé.

Recordo-me uns anos atrás quando eu estava decidida a deixar o ministério de tempo integral junto a Cruzada Estudantil, ele me chamou e me perguntou: Você vai sair de lá e fazer o que? Você nasceu pra isso. A partir dessa frase, começou a me ensinar como manter-me no ministério. Acima de tudo, disse ele, esqueça as pessoas, o que elas esperam. Faça você o trabalho. Comece a visitar os doentes, visite as famílias e fique com as pessoas que precisam ouvir consolo e o Evangelho. O resto, é conversa. Seu trabalho é esse. Não precisa esperar ser reconhecida por isso, ou que lhe mandem fazer isso. Apenas faça isso. Pregue e esteja com as pessoas.

Hoje olhando pra trás, ele fez exatamente isso. Apenas saiu pregando, responsabilizando-se pelos que oravam recebendo a Jesus, oferecendo ajuda integral para essas pessoas. Não oferecia apenas palavras, mas assistia as pessoas em todas as necessidades. Quando eu era criança, não entendia muito bem isso e confesso que não me agradava isso, mas hoje, eu o vejo como um verdadeiro apóstolo.

Suas últimas palavras quando ainda estavamos em casa foi: 'Ieda, eu esperei Deus me curar e Ele não me curou, mas isso não me afetou em nada. Minha fé não mudou". Ele realmente foi um construtor (sua profissão). Ele construiu não apenas edificio, construiu vidas, edificou ministérios.
Que o Senhor Jesus me ajude a imitar o meu pai.
Se tiver tempo, dê uma passadinha em meu outro blog: http://www.iedamoliver.blogspot.com